28 de março – Dia nacional de luta dos estudantes brasileiros



Edson Luís, presente!

O dia nacional de luta dos estudantes brasileiros, celebrado no dia 28 de março, traz à tona a história de mobilização do movimento estudantil diante da opressão do Estado, no período da ditadura militar. A FASUBRA Sindical destaca a importância da memória dos fatos, principalmente na luta em defesa da democracia e do ensino público de qualidade no Brasil.

 

A atual intervenção militar no Rio de Janeiro e as ameaças constantes à democracia, tem colocado em alerta movimentos sindicais, sociais e estudantis, sentinelas do Estado democrático de direito brasileiro. Nesta data, a Federação reitera seu compromisso na defesa da soberania nacional, da democracia e de uma educação pública, laica, gratuita, de qualidade, socialmente referenciada.

 

Edson Luís, presente!

A resistência estudantil contra a ditadura militar resultou em estopim nacional no dia 28 de março de 1968. Durante a manifestação realizada por estudantes contra o alto valor das refeições no restaurante “Calabouço”, na cidade do Rio de Janeiro, o estudante Edson Luís de Lima Souto, 18 anos, foi assassinado pela polícia militar.

 

Seis pessoas foram feridas no tiroteio, segundo o registro de ocorrência nº 917 da 3ª Delegacia de Polícia, Telmo Matos Henrique, Benedito Frazão Dutra (morto após a ação militar), Antônio Inácio de Paulo, Walmir Gilberto Bittencourt, Olavo de Souza Nascimento e Francisco Dias Pinto.

 

Os estudantes não permitiram que o Instituto Médico Legal (IML) levasse o corpo de Souto, para evitar o desaparecimento pela polícia militar. Em passeata, o levaram para ser velado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

 

O jovem estudante foi enterrado ao som do Hino Nacional, cantado por uma multidão de brasileiros indignados com a crueldade da polícia militar, um dos aparelhos repressores do estado brasileiro na época.

 

Souto era de família pobre, natural da cidade de Belém-PA, se mudou para o Rio de Janeiro para cursar o antigo segundo grau (ensino médio), no Instituto Cooperativo de Ensino, que funcionava no restaurante.

 

Manifestações

Durante os sete dias após sua morte, foram realizados vários protestos em todo o país. Em São Paulo (SP), houve manifestações na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), no Centro Acadêmico XI de Agosto da Faculdade São Francisco, na Escola Politécnica da USP e na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

 

Esse capítulo da história do Brasil e a recente intervenção dos estudantes secundaristas traz à memória a luta por uma educação pública, gratuita, de qualidade, em defesa da democracia, da liberdade e contra qualquer tipo de repressão.

 

A FASUBRA permanece nessa luta!

 

Assessoria de Comunicação FASUBRA Sindical

Post a Comment

Your email is kept private. Required fields are marked *

Receba nossas notícias

Verifique sua caixa de email

em cima da hora:

CONFASUBRA | Sintema realiza Assembleia Geral nesta quinta em Pinheiro