Ato no MEC contra o corte orçamentário e demissões na UnB



A reunião apresentou impasses, a equipe ministerial argumenta que o orçamento está mantido “sem cortes”, porém, os dados mostram que os valores de custeio da UnB passaram de R$ 216,5 milhões em 2016, para R$ 137,2 milhões neste ano.

A FASUBRA Sindical participou na manhã de terça-feira, 10, do Ato em defesa da autonomia universitária, contra o corte orçamentário e a demissão de centenas de trabalhadores terceirizados da Universidade de Brasília (UnB). A Esplanada dos Ministérios foi tomada por trabalhadores técnico-administrativos em educação, trabalhadores terceirizados, docentes e estudantes.

 

O protesto da comunidade universitária reuniu cerca de 2 mil pessoas, com palavras de ordem, “que contradição, tem dinheiro pra banqueiro mas não tem pra educação” e “a nossa luta é todo dia, educação não é mercadoria” e “Fora Temer”.

 

 

A concentração começou no Museu Nacional e seguiu em marcha para o prédio do Ministério da Educação (MEC), contra o desmonte da Educação Pública, pela revogação da Emenda Constitucional nº95/16, que congela investimentos em políticas públicas e o corte orçamentário de 45% que inviabiliza o funcionamento da instituição.

 

Educação não é mercadoria

Durante o Ato, estudantes e docentes apresentaram uma peça teatral sobre a mercantilização da educação pelo governo federal à grandes corporações da educação privada. A educação como em uma paródia, era oferecida nos mesmos moldes de uma  grande cadeia de fast food, tudo rápido e fácil. Para a FASUBRA, um fiel retrato do cenário atual, em que o governo promove o sucateamento das instituições federais de ensino abrindo portas para a privatização do setor.

 

 

 

Confronto

Durante as negociações da comissão de trabalhadores, docentes e estudantes em audiência com a equipe ministerial representada pela Secretaria de Ensino Superior (SESu) e a Secretaria Executiva do Ministério, houve confronto dos manifestantes com a polícia. A tropa de choque e cavalaria foram acionadas para dispersar a manifestação, reprimindo a comunidade universitária com bombas de gás lacrimogêneo e spray de pimenta. Três estudantes foram presos e levados à Superintendência de Polícia Federal.

 

 

Reunião cancelada

A reunião apresentou impasses, a equipe ministerial argumenta que o orçamento está mantido “sem cortes”, porém, os dados mostram que os valores de custeio da UnB passaram de R$ 216,5 milhões em 2016, para R$ 137,2 milhões neste ano.

 

Para a FASUBRA, os números revelam uma redução brutal do orçamento da universidade e  bloqueio do Tesouro Nacional de recursos captados pela própria instituição, somados à obstrução de emendas parlamentares que podem reforçar o caixa da UnB, agravam a crise. A reunião foi suspensa após o confronto. O movimento solicitou reagendar o evento entre MEC, administração da UnB e movimentos sociais, para demonstração dos dados orçamentários.

 

Após a confusão, estudantes ocuparam a sede do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no setor bancário sul, a ação foi encerrada às 21h.

 

Assessoria de Comunicação FASUBRA Sindical

Post a Comment

Your email is kept private. Required fields are marked *

Receba nossas notícias

Verifique sua caixa de email

em cima da hora:

CONFASUBRA | Sintema realiza Assembleia Geral nesta quinta em Pinheiro