Comando de Greve reúne-se com dirigentes do Hospital Universitário



Durante a mobilização realizada pelo Comando Local de Greve – CLG/SINTEMA nas dependências do Hospital Universitário Presidente Dutra, nesta quinta-feira, dia 18, uma comissão de técnicos e técnicas foi recebida por gestoras de Recursos Humanos daquela unidade hospitalar.

.

Durante a reunião, o CLG expôs as preocupações em relação a casos de assédio moral por parte de chefias de alguns setores do hospital, denunciadas ao Comando de Greve por servidores que aderiram ao movimento grevista. “Esclarecemos a organização de quantitativos de 30% em relação à força de trabalho, e não ao número de pessoas por setor — além disso — destacamos a moção de apoio do CONSUN o mais importante conselho universitário da UFMA”, pontuou Flávio Matos, membro do CLG/SINTEMA.
.

Uma das representantes do HU na reunião, Erika, manifestou apoio ao movimento grevista, mas demonstrou preocupação quanto à dinâmica organizacional das alas do Hospital. A gestora pontuou também, sobre casos de muitos servidores que “sumiram” desde o início da greve, mas sem deixar claro se aderiram ao movimento grevista ou se afastaram por outro motivo.

.

O CLG/SINTEMA orienta aos técnico-administrativos, para que informem, por qualquer meio, à sua chefia, ainda que via aplicativo whatsapp, sobre ausência no trabalho em virtude de adesão ao movimento grevista.

.

O Comando de Greve também orienta que, somente o acordo de greve firmado ao final do movimento, teremos os direcionamentos sobre qualquer forma de reposição do trabalho.

.


“No mais, vamos à luta com força total até a vitória”, conclamou Mary Luzo, dirigente sindical e trabalhadora em Educação lotada no Hospital Universitário.

.

Casos de assédio devem ser denunciados via Ouvidoria ou via sindicato!

.

Imprensa Sintema

Post a Comment

Your email is kept private. Required fields are marked *

Receba nossas notícias

Verifique sua caixa de email

em cima da hora:

Técnico-administrativos seguem em greve e mobilizados para reunião com Governo Federal