FASUBRA completa 39 anos de coragem e protagonismo na luta



Frente a qualquer ameaça à Educação Pública e às instituições públicas de ensino, a FASUBRA sempre estará pronta a organizar o levante contra o retrocesso e em defesa da democracia.

São 39 anos de protagonismo na luta e coragem para enfrentar os desafios. A Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (FASUBRA Sindical)  mais uma vez saiu à frente como única entidade do serviço público federal a deflagrar greve nacional contra o desmonte da carreira, a desconstrução das universidades públicas e a reforma da Previdência!

 

A luta e a garra da Categoria tem marcas impressas nas conquistas da carreira dos trabalhadores técnico-administrativos em educação. A atuação da FASUBRA não se resume apenas a defender o direito do trabalhador, a defesa de políticas públicas que beneficiam todos os brasileiros e brasileiras na luta pela igualdade também são bandeiras da entidade.

 

Neste ano, a Federação mais uma vez reafirma que, frente a qualquer ameaça à Educação Pública e às instituições de públicas de ensino, a FASUBRA sempre estará pronta a organizar o levante contra o retrocesso e em defesa da democracia.

 

Conheça a FASUBRA

São 50 entidades sindicais filiadas à FASUBRA Sindical em todo o país. A entidade representa mais de 250 mil trabalhadores e empregados técnico-administrativos em educação sob regime jurídico único e celetistas que atuam nas universidades estaduais e federais, institutos federais, Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET), Centro de Tecnologia e de Educação Profissional (CETEPS) e Centro Paula Souza de São Paulo.

 

Fundada em 19 de dezembro de 1978, a Federação luta pelos interesses da Categoria, por uma sociedade socialista, mais justa, igualitária e inclusiva. Também atua na defesa da educação pública, de qualidade e socialmente referenciada, por uma universidade pública, democrática e autônoma, acessível à população.

 

A FASUBRA representa igualmente todos os trabalhadores e trabalhadoras, técnicos e administrativos que atuam nas instituições, sem qualquer distinção, reconhecendo que o trabalho de todos está interligado de forma indissociável.  

 

O trabalho nas instituições de ensino públicas é vinculado e a participação  de todos é essencial para desenvolvê-lo efetiva e solidariamente. Pensando nisso, a FASUBRA desenvolveu o Projeto de Universidade Cidadã para os Trabalhadores (PUCT), que apresenta um novo modelo de universidade pública. Atualmente o Projeto de Lei  7398/2006 tramita na Câmara dos Deputados.

 

A FASUBRA se coloca radicalmente contra aqueles que se apresentam com superioridade em relação aos demais trabalhadores em educação, dividindo nossa categoria e utilizando da meritocracia e do cargo que ocupam para discriminar os demais trabalhadores.

 

Identidade de Trabalhador em Educação

A identidade de trabalhadores em educação está ligada à missão constitucional das instituições, em todas as áreas de atuação. A principal responsabilidade nesse sistema é a construção do conhecimento, ensino, pesquisa e extensão.

 

Por isso, a FASUBRA Sindical investiu em uma Carreira (PCCTAE). O objetivo é a afirmação da identidade dos trabalhadores e trabalhadoras em educação, empoderados e aptos para atuar em todos os ambientes administrativos e acadêmicos das instituições.

 

Concepção de carreira da Fasubra

No ambiente universitário, apenas o trabalho do docente era visível. Ao técnico cabia desempenhar atividades administrativas e em algumas áreas técnicas especializadas.

 

Com a implantação da Carreira a partir da Lei 11.091/2005 ( Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação – PCCTAE), seus planos e programas, a atuação passa a ter mais visibilidade e reconhecimento. Isso demonstra que os trabalhadores técnico-administrativos em educação são parte da comunidade que também pensa, executa, aprende, ensina e produz conhecimento.

 

A concepção da carreira é inovadora e se constitui como um grande avanço, por se contrapor às gratificações produtivistas, que deixam os trabalhadores submetidos a critérios pouco claros, adotados pelas chefias.

 

A nossa carreira organiza o trabalho da  Categoria, sendo também um instrumento de gestão, que dá visibilidade ao técnico-administrativo em educação dentro do plano de desenvolvimento institucional.

 

A conquista da Carreira da FASUBRA é reconhecida internacionalmente, por trabalhadores e trabalhadoras de universidades da América Latina.

 

 

Conquistas do PCCTAE desde 2005

A principal conquista do Plano de Carreira é a afirmação de uma identidade: “Nós somos trabalhadores técnico-administrativos em educação”. Com a nova Carreira, foram recuperadas as perdas salariais acumuladas durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, que ultrapassaram 200%.

 

O grande diferencial do  PCCTAE em relação aos outros planos de carreira do serviço público é a adoção da qualificação profissional, capacitação e avaliação de desempenho para o desenvolvimento do trabalhador na instituição. Todos esses elementos constituem a própria carreira e influenciam na evolução salarial do trabalhador.

 

Outro aspecto importante da Carreira dentro das instituições é o PDI – Plano de Desenvolvimento Institucional. Ele deve aliar o dimensionamento das necessidades da instituição com a definição de um modelo de vagas.

 

Além disso, prevê os programas de Capacitação, Aperfeiçoamento e Avaliação de Desempenho como instrumento de gestão, que visa à formação de trabalhadores pró-ativos e  qualificados.

 

Concepção de hospital universitário e seu papel na Educação

No Brasil existem atualmente 46 hospitais universitários, patrimônio das universidades públicas, que conjugam em seu cotidiano a assistência à saúde, integrada à rede do SUS – Sistema Único de Saúde. São os importantes e reconhecidos “Hospitais de Clínicas”.

 

Os hospitais universitários estão vinculados aos aspectos acadêmico e social das instituições, formando profissionais e auxiliando na produção e disseminação do conhecimento, pesquisa e extensão.

 

Nesses locais são realizados tratamentos de ponta e de alta complexidade, como transplantes e outros, em que são pioneiros. O hospital universitário têm um papel estratégico, que precisa ser reconhecido pelo governo e pela sociedade.

 

Como vemos a representação perante a Ebserh

Os Sindicatos vinculados à FASUBRA, como legítimos representantes dos trabalhadores dos hospitais universitários públicos, têm décadas de conhecimento, experiência e luta em defesa dessa Categoria.

 

A Federação está também nas mesas de negociação junto ao governo, participando das decisões relacionadas aos trabalhadores vinculados à EBSERH – Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares.

Junto com outras entidades, representamos a luta da Categoria da EBSERH nos hospitais universitários, em defesa dos seus direitos e pela garantia do seu emprego.

 

Trabalhador da Ebserh é trabalhador da Educação

Os profissionais que atuam nos hospitais universitários são trabalhadores  das universidades, independente do seu regime contratual. São, portanto,  profissionais da educação e da saúde, com relevante papel junto à sociedade brasileira!

 

A FASUBRA luta há décadas para acabar com a discriminação. No ambiente universitário é inaceitável que trabalhadores de uma mesma Categoria defendam qualquer tipo de preconceito, do qual sempre fomos vítimas e que tanto combatemos.

 

Nossa força reside na unificação na nossa luta por direitos. Trabalhador da EBSERH também é, trabalhador em Educação.

 

Assessoria de Comunicação FASUBRA Sindical

Direção Nacional FASUBRA Sindical

Post a Comment

Your email is kept private. Required fields are marked *

Receba nossas notícias

Verifique sua caixa de email

em cima da hora:

CONSET | Presidente do Sintema prestigia a posse de dirigente da CTB no Conselho Estadual do Trabalho