Enfermagem luta por reconhecimento e protesta no país – ISP denuncia à OEA crimes do governo



Neste 12 de maio, Dia Internacional da Enfermagem, técnica-administrativas e técnico-administrativos em educação que atuam nos Hospitais Universitários se somam categoria com atos pelo país por condições mínimas de trabalho, com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e testagem para Covid-19, entre outras medidas. Em tempos de pandemia, o trabalho desses profissionais merece reconhecimento e homenagem por salvar vidas diariamente.

A ISP – Internacional de Serviços Públicos protocolou nesta quarta-feira (12/5) denúncia sobre as condições de trabalho no setor e pedido de Medida Cautelar na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (CIDH da OEA), em nome dos trabalhadores e das trabalhadoras da saúde, reivindicando que decidam por providências e medidas urgentes por parte do Estado brasileiro, por conta de violações aos direitos à vida, à integridade, à saúde e ao trabalho digno.

Centrais e entidades que pertencem à ISP, entre elas a FASUBRA Sindical, assinam carta em apoio à denúncia e destacam que profissionais de saúde que estão na frente de combate à pandemia vem sendo submetidos a condições inseguras e exaustivas de trabalho diante do colapso do sistema de saúde. “Estes fatores levaram a adoecimento, mortes e sofrimento mental evitáveis de trabalhadores e trabalhadoras em saúde e foram agravados pela ausência de ações coordenadas de enfrentamento à Covid-19 e da adoção de medidas que impediriam a maior propagação da pandemia por parte do Estado brasileiro”, reforçam no documento.

Nos atos a categoria reivindica ainda a aprovação dpiso salarial, assim como a regulamentação da jornada de 30 horas. Os trabalhadores e trabalhadoras cobram a urgente aprovação do Projeto de Lei 2.564/2020, que trata do piso salarial e tramita no Senado Federal atualmente.

Reconhecendo a importância fundamental dos profissionais da saúde durante a pior crise sanitária do século, a Direção Nacional da FASUBRA parabeniza todos os esforços dos enfermeiros(as), técnicos(as) de enfermagem e auxiliares para amenizar o caos na saúde pública. A Federação reforça seu compromisso de defender a luta pela valorização do setor da saúde, contra a retirada de direitos, proposta pela reforma administrativa (PEC 32), que destrói o Serviço Público, os Hospitais Universitários e o SUS (Sistema Único de Saúde).

Veja o pedido de Medida Cautelar à OEA.

Veja carta das centrais e entidades.

Foto: Sintunifesp.

#ForaBolsonaroeMourão

#Vacinaparatodasetodos

#NãoàPEC32

 

Fonte: FASUBRA.

Post a Comment

Your email is kept private. Required fields are marked *

Receba nossas notícias

Verifique sua caixa de email

em cima da hora:

Sintema mantém medidas de prevenção à Covid-19 e segue atendendo de forma remota