No Dia Nacional de Combate ao Câncer, conheça os tipos mais recorrentes no Brasil e a forma de evita-los



Segundo estimativas, entre 2014 e 2015 o Brasil terá 576 mil novos casos de câncer

o5K06_7f4533dfffa169b069fd2590f96ca9e5

Hoje (27) é o Dia Nacional de Combate ao Câncer, doença que resulta da interação entre fatores ambientais e genéticos do indivíduo.

De acordo com a definição do site do Instituto Nacional de Câncer (Inca), “Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo”.

Segundo dados do instituto, estima-se que em 2014 e 2015 o Brasil terá 576 mil novos casos de câncer. Mundialmente, nos últimos houve aumento de 20% na incidência da doença. Até 2030, são esperados mais de 27 milhões de novos casos.

Estimativas ainda apontam que, no Brasil, entre os principais tipos de câncer, destacam-se o de pele do tipo não melanoma (182 mil novos casos), seguido por tumores de próstata (69 mil), mama feminina (57 mil) e pulmão (27 mil).

Segundo o oncologista e presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Evanius Wiermann, o câncer deve ser a doença que mais matará no mundo em pouco mais de dez anos.

Ele disse que o aumento do número de casos reflete o envelhecimento da população: “O câncer atinge, principalmente os idosos, e com o aumento da expectativa de vida no Brasil, acabamos tendo mais diagnósticos. Aliado a isso, temos o aumento da população como um todo, afinal, quanto mais pessoas, o número de casos tende a aumentar. ”

Mesmo com estes números que são considerados alarmantes e a doença estar associada a “sentença de morte”, o especialista afirma que com os novos tratamentos e tecnologias, essa relação tende a ser desconstruída gradativamente: “Com as novas pesquisas e o desenvolvimento de novas drogas, cada dia mais vemos que os pacientes estão vivendo mais e com uma maior qualidade de vida. Temos o preceito na oncologia de que um medicamento só pode ser utilizado se for trazer mais benefícios do que malefícios ao paciente”.

Segundo o presidente da SOBC, estudos apontam que a dieta pode ser um fator relevante para o desenvolvimento do câncer: “Temos dados que mostram que a dieta pode influenciar na incidência da doença. Sua relação não se limita apenas ao pré-diagnóstico, mas também no pós. Certos tipos de dieta durante o tratamento também podem ajudar a mudar o curso da doença”.

Ele ainda afirmou que o consumo de álcool realmente é um fator de risco para o desenvolvimento da doença: “Segundo os especialistas, o consumo de álcool está relacionado ao câncer de cabeça, pescoço, esôfago, intestino e mama”.

De acordo com a dermatologista Daniela Lemas, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a principal providência para evitar o câncer de pele é a utilização do protetor solar, além de outros cuidados: “Um dos principais fatores que desencadeiam o câncer de pele é o quanto você se expôs ao sol até os 18 anos, fase em que o DNA está suscetível a transformações. Pessoas com históricos de queimaduras solares (com presença de bolhas e descamação da pele) têm grandes chances de desenvolver a doença, acarretada pelo efeito cumulativo do sol”.

Quanto ao câncer de próstata, o urologista Alex Meller afirma que a doença dá sintomas somente quando já está em estágio avançado: “O tumor prostático raramente dá sintomas, por isso é importante realizar o check-up preventivo”.

O oncologista José Rodrigues Pereira disse que a relação do uso de anticoncepcionais orais e o aumento do risco de câncer de mama ainda é um assunto muito controverso: “Estudos epidemiológicos com milhares de mulheres não demonstraram aumento significativo no risco de câncer de mama. Além do mais, os anticoncepcionais atuais possuem dosagem hormonal inferior aos que eram usados antigamente”.

Segundo o pneumologista Ciro Kirchenchtejn, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, “quanto mais a pessoa fuma, mais riscos ela apresenta” de adquirir câncer de pulmão. O tabagismo é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão e 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer.

Para evitar o câncer, visite seu médico regularmente e siga as recomendações que estão presentes no site do Inca. Uma das principais dicas é ter uma vida saudável, com alimentação balanceada, consumo de água e prática regular de exercícios físicos.

 

Fonte: R7.

Post a Comment

Your email is kept private. Required fields are marked *

Receba nossas notícias

Verifique sua caixa de email

em cima da hora:

Nota de Esclarecimento | Sintema, Assuma, AAUFMA e Sindufma