FASUBRA | Direção fala das estratégias de enfrentamento às políticas de governo



Na sexta-feira (15), ainda durante o primeiro dia da Plenária da FASUBRA Sindical, realizada no auditório da ADUnB (Associação dos Docentes da UnB), em Brasília, foram realizados os informes da mesa da Direção Nacional na plenária, das coordenações e das bases. A Direção Nacional informou sobre as principais ações deste início de ano. “Alguns dizem que a reforma da Previdência está acontecendo e a gente não está fazendo nada, não é verdade. A Direção da FASUBRA já está se debruçando sobre isso, está debatendo juridicamente e traçando as ações que teremos que fazer. Ao final da plenária iremos apresentar a proposta que a Direção está trabalhando e, mais uma vez, estamos na tentativa de sairmos unificados daqui porque teremos que ter unidade para enfrentar esse governo”, esclareceu.

A Direção lembrou que o texto oficial da reforma da Previdência ainda não é conhecido. “Não tínhamos a proposta de reforma, mas sim pistas do texto que vazou. Estamos nos organizando para o enfrentamento das políticas desse governo, das reformas e dos desafios. A FASUBRA encaminhou ao MEC e ao Planejamento ofícios solicitando audiência para iniciarmos a nossa discussão sobre a pauta de reivindicações. O MEC não retornou e o Planejamento disse que não cuidará mais destas questões e solicitou que a FASUBRA encaminhasse para outro órgão. Estamos encaminhando todas as demandas que foram apresentadas na plenária de dezembro. Temos acompanhado as audiências públicas e o lançamento de frentes também e, em breve, iremos encaminhar a nossa pauta de reivindicações ao governo”.

8 de Março

As coordenações também expuseram as ações e estratégias de cada pasta. Pela proximidade do dia da mulher, a Coordenação da Mulher Trabalhadora apresentou alguns cartazes com palavras de ordem que trazem os vários movimentos que são vinculados à luta das mulheres, em conjunto com as Coordenações LGBTI e de Raça e Etnia. “Estamos averiguando os desafios, nós mulheres, dos ataques, das exclusões desse governo. Estamos também já trabalhando na integração do 8 de março e queremos aproveitar para passar as orientações para essa data que inaugura o calendário de lutas, além  da proximidade com a data de morte de Marielle Franco, que é 14 de março”, afirmaram as coordenadoras da pasta.

Outros assuntos tratados na sexta-feira foram: conjuntura internacional, reforma da Previdência, ataques aos direitos dos aposentados, encontros regionais, a flexibilização da jornada de 30 horas e a Instrução Normativa 02.

Neste sábado (16), a Plenária Nacional da FASUBRA Sindical iniciou com a análise de conjuntura sobre a Reforma da Previdência, a defesa das Instituições Públicas de Ensino do Brasil, a defesa da democracia e a organização da luta contra os ataques do governo. O evento conta com cerca de 170 técnica-administrativas e técnico-administrativos em educação, entre delegados(as) e observadores(as). Hoje a plenária fez os encaminhamentos da pauta de reivindicações que sinalizam as ações prioritárias para a categoria para o próximo período.

 

Imprensa Sindeducação.

Post a Comment

Your email is kept private. Required fields are marked *

Receba nossas notícias

Verifique sua caixa de email

em cima da hora:

GREVE GERAL | Trabalhadores em Educação da UFMA paralisam as atividades em defesa da Educação Pública